A Cauda Longa – O que é

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Cauda longa é um conceito que não é tão novo assim, criado por Chris Anderson, e se tornou um verdadeiro clássico sobre a economia digital. O termo “cauda longa” se popularizou com o artigo e posteriormente o livro de Chris Anderson, A Cauda Longa – Do mercado de massa para o mercado de nicho.

Em 2004, Chris Anderson demonstrava com fatos que a limitação de espaço físico não seria mais um problema no futuro com a Internet. A receita de uma multidão de pessoas com diferentes interesses e uma prateleira infinita de produtos com baixo volumes de venda, pode ser igual ou superior a venda de poucos produtos muito bem vendidos.

No gráfico abaixo, podemos ver na prática a relação de produtos e quantidade de vendas.

 

Cauda Longa representada em gráfico.

Cauda Longa

Observando o gráfico acima, podemos ver que quantidade de vendas dos produtos mais vendidos é, no mínimo, similar, a quantidade de vendas de outros produtos com baixa quantidade de venda. Isso é apenas para demonstrar seus efeitos na economia.

Como funciona a cauda longa?

Vamos supor que estamos de frente de uma livraria, temos que considerar que não apenas temos o custo de armazenamento e custo da operação, mas também o custo ocupado por cada centímetro nas prateleiras. Ou seja, é preciso que contribua para que a venda contribua para que pague o custo da operação e também dê retorno aos sócios.

É por isso que, livros de maior aceitação popular tem mais espaço nas prateleiras e se formos contra isso, é bem provável que iremos a falência, porque a quantidade de vendas é muito maior de livros populares do que outros livros menos populares.

Estes livros vendem pouco porque pertencem a nichos pequenos que, muitas vezes, o fluxo de vendas em uma cidade são pequenos em comparação a nichos maiores. Se pensarmos em pessoas com interesse em gastronomia russa na cidade de São Paulo, é provável que não tenha muitas vendas.

Além do mais, pessoas que procuram por interesses tão específicos quanto esses, normalmente não se concentram em cidades ou bairros. Provavelmente não teria muitas saídas se vendesse artigos sobre como fazer bonecos de gelo em pleno Ceará.

Mas e se pensarmos a nível país ou mundo? Como seria esta procura e este fluxo de vendas?

Com este pensamento em mente, vamos considerar agora uma loja virtual de livros. Qual será o custo de  armazenar e manter o mesmo espaço de um livro pouco conhecido ao lado de um bestseller? Armazenar resenha, capa de livros, opinião de leitores, etc é extremamente pequeno. E como o custo é baixíssimo, cada venda se paga.

Exemplos de quem esta a estratégia

É exatamente o que faz a Amazon, iTunes, Google e por aí vai.

Só a Amazon, de acordo com o livro A Cauda Longa, aproximadamente 57% da receita vem de livros de nicho. Como você sabe, quanto mais escasso, mais valor tende a ser nosso produto ou serviço, e você pode sutilmente elevar o custo do serviço por isso.

Netflix, empresa líder em streaming online também se posicionou bem no modelo de negócio long tail. A empresa mostra milhares de filmes, show de TV, documentários, e títulos poucos conhecidos – o que jamais seria possível com a limitação de uma locadora (se lembra disso?) ou uma loja física.

Avalie este artigo
Share.

Sobre o Autor

Rodrigo Macedo é empreendedor, desenvolvedor de software e especialista em negócios digitais.

Deixe uma resposta