Entendendo MVP – O que significa e como aplicar

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

MVPCom dúvida sobre como criar um produto com o menor risco possível? Este é o assunto do nosso artigo sobre MVP.

O primeiro passo para entender o problema da sua audiência e resolvê-lo, dentro da metodologia, é desenvolver um produto mínimo viável ou MVP, e começar o processo de aprendizado o mais rápido possível. Uma vez que o MVP está criado, você pode começar a fase de observação do comportamento do seu público. Obviamente, você precisa desenvolver e confiar nas suas métricas e aprendizado.

Um dos principais conceitos do livro Lean Startup é o chamado Produto Mínimo Viável.

Uma boa definição para MVP é que se trata de uma versão inicial de um produto, com um escopo reduzido de funcionalidades, com o qual garante validar a ideia e iniciar o aprendizado sobre os clientes, com o mínimo de esforço.

O que é MVP (Produto Viável Mínimo)?

 

Quando se inicia um negócio ou um novo empreendimento, o principal risco é se a proposta de valor realmente interessa o público alvo. É exatamente onde se encaixa o conceito de MVP: criar um pequeno protótipo para testar o modelo de negócio e testar uma hipótese. Por exemplo: se existe uma demanda real do público pela solução, se as pessoas pagariam pela solução. Etc.

Ele auxilia a investir em um produto de maneira correta e que seja realmente útil para o seu público. Além disso, depois de certo tempo, o MVP ajuda as startups a prever os fatos antes que eles ocorram e lançar as novidades no momento mais propício.

Como funciona?

Quando se inicia um novo projeto, você tem praticamente duas opções: investir meses/anos em um projeto ou desenvolver uma versão simples para verificar a aderência do produto no mercado e aprender com ele.

A segunda alternativa é o chamado MVP.

O MVP é um conceito do livro Lean Startup, ou em português Startup Enxuta. O livro foi escrito pelo Eric Ries. O livro trata sobre como desenvolver estratégias para evitar desperdício de tempo e de recursos e principalmente, como trazer um produto para o mercado com o menor número de incertezas.

Como criar um MVP

Antes de iniciar o seu MVP e testar a hipótese no mercado, é preciso definir uma proposta de valor. Proposta de valor é o problema no qual você está disposto a solucionar com seu produto ou serviço.

O segundo passo, é identificar qual o escopo mínimo para entregar valor para seus primeiros clientes. Ou seja: quais características o seu produto/serviço precisam ter para entregar essa proposta de valor.

Após desenvolver o seu MVP, será necessário encontrar os early adopters (pessoas que estão dispostas a primeira versão do seu produto e que te darão feedback sobre ele. Com o feedback sincero dos seus primeiros utilizadores, será possível validar ou invalidar hipóteses do seu modelo de negócio.

Na verdade, é muito comum que seu primeiro modelo de negócio tenha erros – o que é excelente, uma vez que seu custo de desenvolvimento na etapa inicial do projeto é muito menor do que alteração em um produto inteiramente desenvolvido.

 

Passos simples para testar uma ideia

Na verdade, existe uma infinidade de métodos pra testar sua audiência e o produto que você está pensando em desenvolver. Com o mínimo de esforço, você pode desenvolver o seguinte esquema abaixo:

  • Crie uma landing page
  • Configura uma campanha, seja no Adwords, Facebook ou em qualquer outra plataforma de anúncio pago. Se você tiver sua própria audiência ou lista de e-mail, melhor ainda.
  • Configure o Google Analytics para metrificar a quantidade de tráfego em sua página e a porcentagem de conversão (percentual que se cadastra em sua lista).

 

Exemplos de empresas que utilizaram MVP para criar seus produtos

Groupon

A ideia de negócio foi criada por Andrew Mason. Surgiu em 2008, e apresentou ao mercado um dos maiores crescimento em um espaço curtíssimo de tempo. Para testar a ideia inicial, eles criaram uma página em WordPress, com um formulário simples de cadastro. Se alguém manifestasse interesse pela oferta, eles enviavam um e-mail com o cupom de desconto em PDF.

Uber

Amado por muitos e odiado por poucos. É geralmente considerada uma das startups mais bem sucedidas de todos os tempos.  Em suas versões iniciais, foi conhecido como UberCab em 2010. Eles focaram o negócio inicialmente em San Francisco para aprender sobre o mercado. Rapidamente, melhoraram o serviço com SMS. Depois expandiram seu campo de atuação em novas cidades e testando o modelo.

Hoje o Uber conta com diferentes modelos, variantes da sua ideia inicial.

 

Facebook

Antes do Facebook, havia um projeto criado por Mark Zuckerberg e outros três amigos da universidade. Este projeto era chamado de Facesmash, um site simples cujo o conceito principal era mostrar fotos, e ver qual estudante era mais atraente, digamos assim.

O site Facesmash foi vendido por $30,000. Logo depois, veio a primeira versão do Facebook como conhecemos, em 2004 com uma versão reduzida de funcionalidades.

Facebook teve duas grandes vantagens:

  • Primeiro, Zuckerberg criou um modelo básico do seu produto.
  • Logo após, criou um pequeno grupo de early adopters (primeiros entusiastas), com o objetivo de testar a aplicação e receber feedback (leia-se aprender com os seus usuários)

 

Conclusão

Muitas das grandes startups começaram com MVPs.  Para testar um novo conceito, o ideal é sempre diminuir o risco da criação de um projeto, e utilizar o conceito de MVP. Existem diversas possibilidades para começar seu projeto e aprender com o mercado.

Lembre-se que MVP é uma ideia para testar uma hipótese no mercado, então é possível também que sua ideia inicial não seja tão bem aceita no momento do mercado. É na verdade, bastante comum que um MVP apresente erros ou falhas em sua concepção. Por isso, você também pode economizar  seu dinheiro e de seus investidores, sem investir muito. Inclusive, criando estratégias para revalidar a ideia inicial com pequenas modificações.

Entendendo MVP – O que significa e como aplicar
5 (100%) 3 votes
Share.

Sobre o Autor

Rodrigo Macedo é empreendedor, desenvolvedor de software e especialista em negócios digitais.

Deixe uma resposta