Análise Tributária da sua empresa: o que não pode faltar

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

O planejamento tributário consiste em desenvolver estratégias para minimizar ou adiar a carga tributária de uma empresa. Uma empresa pode ter que lidar com mais ou menos impostos e em diferentes períodos de tempo, dependendo de várias circunstâncias. O planejamento tributário os analisa e desenha o mapa mais favorável para isso.

Por isso, ao fazer uma análise tributária é preciso conhecer todas as etapas para que nada fique de fora. Sendo assim, surge a pergunta: o que não pode faltar em uma análise tributária? É que veremos a seguir:

Planejamento tributário

Uma das principais tarefas de uma consultoria tributária é o planejamento tributário de seus clientes. Isso nada mais é do que o desenvolvimento e a análise de estratégias para minimizar a carga tributária de uma empresa. Em vários contextos, sempre dentro da lei, as empresas podem enfrentar menos impostos ou adiá-los a tempo, se planejados corretamente. No entanto, é uma ferramenta muito mais complexa do que pode parecer.

Duas empresas dedicadas à mesma atividade e com características semelhantes podem pagar impostos de maneira muito diferente. Isso geralmente ocorre porque uma das empresas planejou corretamente sua tributação. Um deles tomou decisões que a fizeram enfrentar menos impostos ou atrasá-los ao longo do tempo. O outro não fez isso, mas ambos continuam cumprindo a lei exatamente da mesma forma. Como isso é possível?

Certos tipos de empresas têm benefícios fiscais, podemos tentar evitar a dupla tributação, escolhendo uma forma legal que os beneficiem no futuro, adiando pagamentos de impostos para aumentar a liquidez, etc.

Agora, é importante saber o que é planejamento tributário, mas também é importante saber o que não é. O planejamento tributário não é evasão fiscal ou fraude fiscal. É analisar as variáveis ​​para detectar a melhor fórmula para minimizar gastos atuando dentro da lei. No final, consiste em levar em conta qual será o ônus fiscal que uma empresa terá que enfrentar e qual será o momento mais oportuno para fazê-lo.

Para entender o que pode ou não faltar é preciso que a assessoria tributária avalie que cada empresa tem suas próprias características e a estratégia é projetada a partir disso. A situação fiscal de cada empresa deve ser analisada de acordo com o tipo de negócio, a propriedade dos ativos, a localização das operações, entre outros fatores.

Há algumas modalidades impostas pelo regime tributário para o pagamento, que são:

  • Microempreendedor Individual (MEI): ideal um negócio em início e que  tem faturamento anual inferior a R$ 80 mil. Antes verifique se a sua atividade se enquadra nesse regime tributário no Portal do Empreendedor;
  • Simples Nacional: regime que simplifica o pagamento de impostos e tem as menores taxas. Empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões podem escolhê-lo.
  • Lucro Presumido: empresas que faturam até R$ 78 milhões se enquadram nesta opção;
  • Lucro Real: negócios que faturam acima de R$ 78 milhões entram nesse regime tributário.

Portanto, de acordo com cada perfil de negócio se elabora um planejamento tributário recomendado e eficaz para a redução de gastos. É importante verificar cada setor e entender melhor as legislações e os impostos que o negócio precisa pagar

Análise Tributária da sua empresa: o que não pode faltar
Avalie este artigo
Share.

Sobre o Autor

Rodrigo Macedo é empreendedor, desenvolvedor de software e especialista em negócios digitais.

Deixe uma resposta